11/01 – Noite – Escola Adorando 2011

Asaph começou encorajando a todos dizendo: “Ministério é continuidade. Não pare, siga em frente.”

Durante toda a reunião contou diversas experiências ministeriais naturais e sobrenaturais, especialmente em suas viagens a várias nações, incluindo a Rússia e o Oriente Médio. Ele enfatizou a total dependência do Espírito Santo que direciona tudo, em cada detalhe. Esclareceu que o lugar secreto é onde se aprende a ouvir a voz do Espírito do Senhor, fruto de intimidade com Deus, que retira do coração humano toda ansiedade e impulsiona o cristão a dar o passo orientado pelo Espírito Santo.

Há uma unção própria para cada ministério, pois cada ministro é autêntico diante de Deus. Quando se anda na dependência do Espírito, nunca se cai em ritualismo ou cópia de fórmulas e formas.

Textos bíblicos lidos:

I Co 14:26 – fala de um fluir, quando o Espírito pode passear no meio da Igreja.

II Co 3:17 – liberdade é ser obediente ao Espírito de Deus. Ser livre é um caminhar.  

II Co 4:18 – o verdadeiro ministro de Deus é aquele que começa a ver as realidades eternas.

Anúncios

Fotos Workshop de Composição – 11/10 Tarde – Christie Tristão

Fotos da Manhã – 11/01 – Sóstenes Mendes

Escola Adorando 2011 – 11/01 Manhã



 

Adoração e justiça: dois pilares complementares

Experiências são vitais, tanto as boas como as ruins. Todo marinheiro experiente já passou por várias tempestades, mas sempre saiu firme, nunca afundou. Tribulações também contribuem para o amadurecimento. Contudo, sem fundamentação a experiência em nada serve para o crescimento da pessoa.

Paralelamente, a adoração leva a igreja à intimidade com Deus, à rendição, ao choro e ao quebrantamento. Enquanto a justiça dá o fundamento teórico para a realização dessa prática, em outras palavras, ela é um importante alicerce para construções sólidas. Portanto, para alguém amadurecer integralmente é preciso aprender a agir dentro da justiça de Deus, ensinada na Bíblia e executada após uma decisão racional.

Paulo, em Rm 1:17,  diz que em Cristo se descobre a justiça de Deus, tantas vezes difícil de ser compreendida. Como ladrões podem ser perdoados e ofensores, amados? Mais adiante, em Rm 3:10-13, o apóstolo continua afirmando que ninguém é bom ou justo, pelo contrário, todos se extraviaram de Deus e com a língua falam maldades. É preciso entender quem é o ser humano para entender direito o que Jesus fez por essa criatura, tornando-o filho de Deus. Só assim, é possível entrar em no santuário do Senhor para adorar. Não há genuína adoração, sem morte, sem a obra de Jesus na cruz, sem o reconhecimento do pecado e da justiça de Deus.

Escola Adorando 2011 Palavra – 10/01 Noite

 

Jr 18:1-4

A casa do Oleiro é o local onde o profeta, homem ou mulher de Deus, pode ser tocado, quebrado e moldado pelo Grande Artista. É nesse ambiente que o Senhor revela quem Ele é e como é a humanidade em sua essência! De tempos em tempos Ele leva seus vasos de volta à roda para realinhá-los com a Sua vontade. Esta escola se apresenta como um tempo de descida ao “atelier do Senhor”.

 Destaques do texto:

  1. Dispõe-te!  à  Seja disponível, tenha um coração disposto guiado pela motivação correta, ou seja, faça tudo para Ele e por causa Dele. Dispõe-te totalmente, esvazie-se de si mesmo! 
  2. Desce!  à  Descer significa se humilhar, se render. Quem quer ser o maior no Reino, seja o menor, seja aquele que serve. Para ir à casa do Oleiro, é preciso descer!
  3. Ouça as palavras do Senhor.  à  Ouvir é diferente de escutar. Quem ouve, obedece, se compromete e se responsabiliza.
  4. Roda do Oleiro.  à  As três primeiras etapas fazem o servo de Deus chegar ao local onde Ele constrói os vasos. 

 Convite: se achegue à casa do Oleiro nestes dias, pois Deus não remenda nada, Ele faz o vaso de novo como bem lhe parece!

 A primeira etapa para o vaso ser renovado é ser quebrado. Deus desconstrói aquilo que o homem construiu com suas próprias mãos. Depois de o barro voltar à forma de pó, Ele derrama água fresca para dar uma nova forma, sem rachaduras. Em seguida, o processo de secagem acontece fora das mãos do Oleiro, lá na prateleira. Barro molhado não armazena líquido nenhum, por isso ele deve secar. Finalmente, para o vaso se tornar mais resistente, ele deve ir para o forno a fim de que o fogo venha purificá-lo, refiná-lo.

Espera-se que todos os alunos da Escola Adorando possam sair daqui como vasos de honra!