11º Dia – Manhã – Pr. Zezinho – Atraídos por Jesus p.2

Texto Bíblico: Mt 14.19 / Mt 15.36 / Mt 26.26 / Lc 24.30,31

Samuel foi alguém que primeiro conheceu a Deus, depois o ministério que Deus tinha pra ele. Eli lhe ensinou a reconhecer e falar com Deus e então Deus se revelou à Samuel. Depois que você é atraído por Jesus (não pelas “coisas” dele) não há escapatória. Somos atraídos por Jesus, não pela sua obra, pelos resultados. Existe um processo de atração à Jesus.

Nos textos bíblicos, Jesus demonstra uma sequência de ações: “tomou, abençoou, partiu e deu”.

1. Tomou – para sermos atraídos à Jesus, é preciso entregar o que temos nas mãos de Jesus. Se ele não assumir, nada acontece.

2. Abençoou – o mesmo que confirmar, autorizar, liberar. Benção produz temor, respeito (Sl 67).

3. Partiu – Jesus tem que ter liberdade para mudar a forma.

4. Deu – Ele vai devolver a “nova forma” para atender os seus próprios propósitos.

Essas ações demonstram um padrão pelo qual Deus trabalha em nossas vidas, no processo de atração à Jesus. Nesse processo, o que não é necessário sai e o que fica é tratado.

Essa atração não é forçada. “Aquele que vier a mim”, disse Jesus. Precisamos nos colocar numa posição na qual Ele nos atrai. Nos consagramos e Ele e somos santificados por Ele. Na cultura hebraica, o pão representa o básico na vida, o necessário. E há três maneiras de se achar o pão (na centralidade de Cristo):

A) Dai-nos hoje o pão – modo de atração mais fácil, em áreas que temos maior domínio;

B) Lance o seu pão sobre as águas e depois de um tempo o acharás – modo de atração na qual é preciso ficar um tempo sendo trabalhado pela Palavra de Deus, áreas nas quais temos um pouco mais de dificuldade;

C) Migalhas de pão que caem embaixo da mesa – áreas complexas, que exigem renúncia, exposição, atração que demanda esforço, luta.

Há três tipos de chamado registrados na Bíblia. Jeremias foi chamado para falar ao povo de Deus; Daniel foi chamado para falar ao mundo de sua época; Ezequiel foi chamado aos cativos e prisioneiros. Cada um de nós tem um lugar nessa geração.

Anúncios

10º Dia – Noite – Pr. Luciano Subirá

10º Dia – Manhã – Pr. Zezinho – Atraídos por Jesus

Texto Bíblico: Jo 12.32 “Quando ressurgir, todos atrairei a mim”

O maior inimigo de Israel não era o deserto mas a terra prometida. O mundo e o pecado são convidativos e provocam prazer, mas não fazem bem. Quando Israel conquistou a promessa, voltou a se contaminar com os ídolos antigos do Egito e com as “novidades” de Canaã. O mundo nos quer longe do centro, onde há pouca profundidade de conhecimento e superficialidade. Em contrapartida, Jesus nos quer atrair para o centro, onde há simplicidade, fruto de maturidade. A Bíblia nos mostra 3 personagens que se encontraram com Jesus e foram impactados, resultado de uma atitude que dependeu tão somente da iniciativa de Jesus ao atraí-los:

Malco – teve a orelha cortada por Pedro e depois restaurada por Jesus…

Barrabás – tornou-se livre porque Jesus morreu em seu lugar…

Simão Sirineu – teve a honra de carregar por um pouco a cruz de Cristo…

Jesus disse “vinde a mim”, e isso exige disposição para “ir a Jesus”, deixar nosso cenário atual e trocá-lo pelo de Jesus. Na parábola das 10 virgens Jesus nos ensina que é necessário óleo para que o fogo mantenha-se aceso. Cristo está no centro e quer nos atrair da periferia para Ele. No caminho até Jesus, precisaremos de óleo para nos manter “funcionando”. A Bíblia nos fala de dois lugares como fonte de óleo: a união entre os irmãos e o Getsêmani, lugar de prensa e derramamento de óleo.

Além do óleo, Jesus nos fala do vinho (que se torna sangue, conforme a representação da ceia do Senhor). Vinho é alegria, necessária como sustentação de qualquer ministério, e será importante ao longo do caminho até Jesus. A alegria vem da confiança em Deus, pois o final é glorioso.

Por fim, óleo e vinho são necessários, mas devem estar acompanhados de disponibilidade. Jesus nos fala da parábola do Bom Samaritano, na qual este recolhe o homem ferido e o coloca em um “cavalo disponível”. Tal disposição é fundamental para o nosso tempo e exigida no retorno à Jesus.

9º Dia – Noite – Pr. Harold McLaryea – Ziclague, lugar de luta e vitória

Texto base: 1 Sm 30

O texto relata a história de Davi quando morou em Ziclague. Havia uma palavra profética sobre sua vida, sua família, sua descendência com relação ao governo de Israel. Entretanto, Deus começou a usar Davi de forma bem simples, levando-o para a guerra a fim de defender os interesses do reinado de Saul.

Davi era um homem segundo o coração de Deus. Não porque nunca pecava, mas porque ele conhecia princípios eternos que dirigiam sua vida: o temor do Senhor, a obediência à instrução, o respeito à autoridade que Deus instituiu e não se opunha a ela em hipótese nenhuma (mesmo sendo perseguido por Saul).

O Senhor tinha algo poderoso para Davi, uma promessa especial. Contudo, para chegar lá, ele precisou primeiro passar por Ziclague. Só então conseguiu começar a visualizar e a experimentar a realidade desse sonho, quando recebeu a notícia da morte de Saul e a coroa chegou até ele.

Ziclague representa um tempo de muita luta. É bom observar, que na Bíblia, batalha, guerra, peleja é regra; a vida de paz é exceção. Por isso todo cristão precisa aprender a guerrear. É verdade que algumas (poucas) batalhas, o Senhor vai dizer: “Descansa, pois nessa guerra você não terá que pelejar.” Mas todas as outras, Ele dará forças aos valentes para guerrear. Quem estiver enfrentando uma luta vai ter que persistir, sangrar e, talvez, até morrer pela sua fé.

Nem sempre se sai ileso de uma batalha, o que não significa que ela não foi vencida. Mas, algumas vezes, as perdas são tão grandes e deixam marcas tão profundas que é até difícil comemorar. Nem sempre se sai sem arranhões ou cicatrizes das guerras rumo à promessa de Deus. Isso serve para lembrar ao soldado que ele não venceu pela força de seu braço, foi o Senhor dos Exércitos que o conservou em vida.

Ziclague havia sido saqueada pelos amalequitas. Quando Davi e seus valentes voltaram de uma guerra, ao invés de encontrarem descanso e alegria só viram assolação. Quando esperavam ser acolhidos e consolados, só receberam péssimas notícias. Quando estavam exaustos e precisando de descanso, descobriram que ainda tinham que resgatar suas mulheres e crianças das mãos dos inimigos. No versículo 6, a Bíblia diz que o povo ficou em grande amargura e desejou apedrejar Davi.

Nessa situação, Davi aprendeu algo importante: a se reanimar no Senhor! Ao se isolar por um tempo e ficar a sós com Deus… horas e horas… ele conseguiu se reanimar sem o auxílio de nenhum dos seus companheiros, confiando apenas no Todo-Poderoso. Assim, foi capaz de renovar suas forças e ter ânimo suficiente para voltar ao campo de batalha e buscar os cativos. Davi descobriu o segredo de perseverar até Deus intervir!

Nada se recebe sem pagar o preço. Quem quer ter experiência com Deus, unção e vitória? Vai pagar o preço!

Os verdadeiros vencedores são aqueles que aprendem a se reanimarem no Senhor.  

 

9º Dia – Manhã – Ricardo Robortella – A Fé que honra a Deus

Texto base: At 1:8 e Tg 2:14-20.

A fé que honra a Deus é aquela que contém a íntima compaixão pelos pobres. A música deveria ser uma ferramenta para alimentar os necessitados. Ela não é o fim, ela é apenas um meio.

O Senhor quer colocar em Seus ministros uma fé inabalável e um coração puro, para que não tenham nada de vergonhoso escondido: nem orgulho ou interesse próprio, egoísmo ou corrupção. É impossível experimentar essa fé sem descer do pedestal, do púlpito, do palco e andar em direção às pessoas doentes, rejeitadas, esquecidas, mal cheirosas, carentes, marginalizadas. Ou seja, sem seguir o exemplo de Cristo: se esvaziando de si mesmo.

A fé sem obras é morta. O CD ou DVD gravado deveria ser muito mais do que um simples produto, deveria ser a mensagem de Deus limpa transmitida de forma não corrompida. Para isso acontecer, a vida do ministro deve estar em coerência com as letras das canções que ele escreve ou interpreta.

O evangelho é simples, mas ele é profundo. Não venda essa mensagem!

Testemunho do Ricardo: “Eu costumo dizer que a África me salvou, porque me colocou onde eu realmente deveria estar. E descobri que nem tudo o que a terra aplaude é aplaudido nos céus”.

Es 4 – Mordecai (a voz profética que está fora) ouviu que os judeus ia ser mortos… por isso colocou trapos de cinza. Ele ficou inconformado… Ester é a noiva do Senhor que está iludida dentro do palácio. As minhas roupas não serão trocadas… minha mensagem (da cruz) não será trocada e nem amenizado.

9º Dia – Manhã – Harold McLaryea – O Princípio da Obediência

Texto base: Gêneses 27 e 28

Rebeca soube que Esaú, seu filho mais velho, pretendia matar seu irmão, Jacó, logo após a morte de Isaque, seu pai. Por esse motivo, conversou com o marido e o convenceu a aconselhar Jacó a partir para a terra de Padã-Arã, viver entre seus parentes e se casar por lá. Isto é, quando Jacó foi embora, ele não estava fugindo de seu irmão e sim obedecendo a instrução de seu pai.

No caminho, parou para dormir e, nessa noite, Deus o visitou. O segredo da revelação do Senhor ao homem é a OBEDIÊNCIA. É esse princípio bíblico que vai levar o cristão a um lugar profético. Nenhum dos planos eternos de Deus vai se cumprir na vida de alguém antes dessa pessoa aprender a OBEDECER.

A questão é: a instrução de quem se deve obedecer? De quem exerce autoridade espiritual sobre nossa vida, a quem se reconhece como pai ou discipulador.

A obediência é que vai determinar o nosso destino. São os pais que determinam o futuro dos filhos. Quem escolher obedecer, Deus vai abençoar e fazer frutificar.  Obedecer é praticar aquilo que foi ensinado. Envolve coragem e firmeza nas decisões para agir em conformidade com a ordem recebida. Esse princípio deve ser aplicado em todas as áreas da vida: financeira, sentimental, física, ministerial, etc.

Voltando à história de Jacó, ele chegou a um lugar desconfortável para dormir, escuro e sem nenhum atrativo aparente, como iria imaginar que seria ali que conheceria o Deus de seu pai Isaque! Ele estava em um ambiente profético e não sabia.

Muitas vezes, o momento em que o Senhor se revela aos Seus filhos é exatamente aquele em que não se tem definição alguma sobre o que fazer mais adiante, quando não se sabe o rumo a tomar. Geralmente, não começa com um mar de rosas, pelo contrário, “passar a noite” significa enfrentar incertezas, conflitos, dúvidas, medos, tristezas, peso, choro. Pode até ter trabalho árduo sem resultado, fracassos, abandono, escuridão, solidão e desproteção. Mas lembre-se: AS NOITES SEMPRE PASSAM!

As noites não permanecem! Foi na manhã seguinte que Jacó descobriu que Deus estava com ele o tempo todo. Quando se entra em um período de noite por causa da obediência, uma coisa é certa: em breve a porta do céu se abrirá! O lugar onde se luta com os maiores conflitos, é também o espaço onde se conquista a maior vitória.

O que Deus mais quer é a obediência de seus filhos quanto a todas as Suas instruções e isso determinará o destino deles.

Para criar um mover profético de Deus: 1- oração, a intercessão (pelos outros) – criamos um ambiente profético, pq quando falamos de pessoas para Deus, Ele fala delas para nós. 2 – Palavras de fé, baseadas naquilo que Ele diz… declara o que está em concordância com o que Ele diz… palavras criam… o poder da vida e da morte estão na sua língua. Nossas palavras criam atmosferas… o que Deus diz a teu respeito é o que Ele quer que aconteça contigo… que essa escola seja um marco nas nossas vidas! Se eu tocar Nele, eu serei curada (a mulher do fluxo de sangue). 3- adoração, Deus se muda para onde Ele é celebrado, onde Ele é querido, bem quisto.

Você pode mudar o ambiente na sua casa, no seu trabalho, na sua congregação, na sua cidade. Pratique isso de forma consciente: eu vou mudar o ambiente à minha volta.

8º Dia – Noite – Judson Oliveira